Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

riscos_e_rabiscos

.

.

Nos orgãos genitais não se toca!

 

Um tribunal italiano proibiu os homens de tocar nos seus órgãos genitais em público, considerando este acto como falta de decoro! Será que esta prática é tão generalizada em Itália que foi preciso tomar esta medida? Ou será que a Itália estava a correr o risco do seu cartaz turístico ser os belos italianos coma mão nos seus atributos? Coisa estranha…

 

Se em Portugal se adoptasse uma medida destas, havia muita gente – entenda-se homens - tramada. Muita infracção à lei iria ser cometida, e a caça à multa ainda iria intensificar-se mais. Provavelmente, alguns elementos da espécie masculina seriam presos por atentado à moral pública. Ou não.

 

Recordo que no nosso país, este tipo de gestos, são já uma antiga tradição fortemente arreigada na nossa cultura popular. Historiadores e estudiosos do assunto, referem que esta prática remonta aos primódios do tempo, desde que o Homem era Adão e Eva a Mulher. E que o pecado original surgiu não do facto de Eva ter mordido a maçã oferecida pela serpente mas por ter mordido outra coisa…

Foram encontradas também referências que reportavam esta prática como sendo trazida pelos romanos para o nosso país. E que no tempo de Napoleão havia como que uma “gesto de guerra”: antes de disparar havia sempre um toque genital para lembrar os soldados que eles tinham… vocês sabem o quê! Diz-se até que Napoleão criou aquela mania de enfiar a mão dentro do casaco para contrariar e combater o vício que tinha de mexer no seu “material de guerra”.

 

Existe, inclusivamente, um manual que ensina os preceitos desta arte. Este precioso testemunho intemporal da cultura popular, foi elaborado graças aos depoimentos recolhidos através dos tempos nas diferentes partes do país.

Segundo reza no conceituado livro, um bom coçador de “órgãos genitais” deve cumprir e obedecer a determinados requisitos:

- ter a unha do dedo mindinho grande (para que possa chegar às profundezas do seu bem mais precioso;

- depois de uma coçadela, deve sempre cuspir para o chão (de forma a reafirmar a sua masculinidade);

- dar um aconchego aos seus amigos inseparáveis (para se assegurar que está tudo no sítio e que nada está danificado.

 

Ainda hoje existem cumprimentos, entre a classe masculina, onde após um aperto de mão deverá ocorrer um toque genital (uma coçadela ou um aconchego). Isto assegura-os da sua masculinidade e fá-los pensar que os elementos do sexo oposto sentem atraídos por eles…

 

(Como já devem ter reparado, iste texto é 99% fruto da minha imaginação só 1% é que é verdade. Agora separem o trigo do joio!)

 

12 comentários

Comentar post